View on GitHub

Programador Cansado

Cuidando da saúde mental para a mente não bugar.

A ideia básica do projeto

Antes de cuidar do código-fonte, é importante cuidar da mente, caso contrário, ela vai bugar mais que o código-fonte.

O objetivo deste projeto

O objetivo desse projeto é reunir informações sobre saúde mental na área de programação, pois isso é essencial em uma área que exige que a mente trabalhe para criar e melhorar (a.k.a refatorar) o código.


Experiências pessoais

Um aprendizado que não foi saudável

Quando comecei a programar me esgotei muito, pois já comecei com problemas pessoais e não sabia o momento de parar, isso me gerou um cansaço psicológico muito forte. Fui muito insistente e perdi a noção de como aprender as coisas sem em desgastar, passei de código ruim para mediano, depois de anos consegui um resultado mais satisfatório.

Fui paranoico, não queria utilizar bibliotecas e frameworks, pois achava que não estava fazendo as coisas com as próprias mãos. Hoje vejo que isso foi um preciosismo e um erro grande, pois criou um caminho difícil e desgastante de aprendizado para mim. O lado bom foi que aprendi a fazer as coisas do zero, o lado ruim foi que o preço foi caro demais, pois a minha saúde mental ficou mais debilitada.

Olhando em retrospecto, vejo os erros que cometi, sei que tudo poderia ser mais natural e sem tantas cobranças, mas o caminho já foi traçado. O que me resta é saber que a partir daqui posso ter uma postura mais saudável, além de aprender a conciliar o lado pessoal e profissional, já que não fiz isso no passado.

O esgotamento mental

Eu quis fazer tudo do zero, isso me levou a ter essa postura foi um preciosismo bobo que não me levou a nada. Hoje percebo bem esse erro, sei que tenho uma parcela grande de culpa sobre o esgotamento que tive, pois me cobrei muito e não busquei equilibrar a vida profissional com uma vida pessoal (na época eu nem conseguia).

O início do meu processo de aprendizagem foi marcado por uma falta de cuidado próprio, me forcei a ficar programando praticamente todo dia. Eu queria aprender, porém não tinha paciência, muito menos a noção de que o tempo traria maturidade e conhecimento naturalmente. Até 2015 eu fiquei nesse ritmo, depois consegui aprender orientação a objetos de forma um pouco mais profunda, por isso (e também pelo esgotamento) diminui o ritmo.

Estou tentando aprender com meus erros, por isso estou registrando alguns pontos prejudiciais que notei nos os últimos anos em que estou programando. Talvez o maior erro que cometi foi querer entender rápido coisas complexas sem ter a maturidade e a paciência para absorvê-las de forma mais saudável com o tempo e a experiência.


Problemas que atrapalham

Síndrome do Não inventado aqui

Essa é uma postura prejudicial que faz com que o programador evite usar a solução de terceiros, os motivos podem ser preciosismo ou supervalorização das próprias soluções. Isso é algo ruim, pois evita o aprendizado com o conhecimento de outros projetos e também abre mão da segurança e estabilidade que projetos consolidados dão.

Além da parte técnica, essa postura também é prejudicial para a saúde mental, pois fazer tudo do zero sempre é muito desgastante e massante, consequentemente isso pode levar ao esgotamento mental. É muito mais saudável aprender aos poucos absorvendo conhecimentos do contato com o código de programadores mais experientes que criam ótimas bibliotecas open-source.

Síndrome do Impostor

Em um área onde é necessário se atualizar constantemente em um mar imenso de informações, é difícil se sentir seguro o suficiente para trabalhar. Isso gera a síndrome do Impostor, onde mesmo estutando muito e tendo um domínio bom de conhecimento a sensação de não saber nada e não ser bom o suficiente continua presente.

É importante focar em um assunto e se dedicar a ele tendo em mente que ninguém nunca sabe tudo, isso já é uma postura que alivia a força que a síndrome do impostor pode gerar em alguém.


Os resultados da minha experiência

Por conta da minha experiência com programação e saúde mental, decidi criar uma organização no Github com repositórios com informações sobre saúde mental para fazer a manutenção da mente e ter consciência dela. Dessa minha experiência nada agradável veio a necessidade de uma nova postura para programar.

Postura na hora de programar

A minha postura depois de ter batido muito a cabeça e ter me esgotado mentalmente no meio do caminho. A maioria das práticas envolvem flexibilidade em seu cerne.

Formas mais saudáveis de lidar com trabalho

Formas mais saudáveis de lidar com código

Percepções ao usar uma abordagem mais saudável

Percepções sobre o código ao usar uma abordagem mais saudável

Atitudes construtivas para manter


Tentando transformar o fracasso em algo construtivo

Esse projeto é uma tentativa de criar algo construtivo do meu fracasso pessoal que prejudicou muito a construção de uma carreira de programador consistente, tentar fazer algo construtivo com uma experiência ruim é uma boa alternativa para tentar se reconstruir.


Idealizado e mantido por Raphael da Silva